Image

Órteses, o que são?

Por Fix it
abril 3, 2019

Para iniciarmos nossa discussão sobre órteses, começaremos abordando seu conceito: a palavra órtese é originada do grego, e significa “tornar correto”. As órteses são dispositivos utilizados externamente ao corpo com o objetivo de melhorar ou auxiliar funções corporais. É comum escutarmos outras denominações para esses dispositivos, tais como: talas, aparelhos e aparelhos ortopédicos por exemplo.

Dentre os objetivos da utilização das órteses, inclui-se:

  • Imobilizar uma articulação ou um segmento do corpo;
  • Limitar movimentos indesejáveis;
  • Controlar a motricidade;
  • Auxiliar o movimento;
  • Reduzir a força de sustentação de peso;
  • Prevenir a instalação de deformidades;
  • Reduzir a dor pela imobilização.
órteses
Você já conhece as órteses Fix it? Elas garantem que o paciente Finalize seu tratamento com conforto e liberdade, confira clicando aqui.

A avaliação prévia à prescrição das órteses é essencial, abordando questões como: o histórico de vida do paciente, que pode ter desencadeado o comprometimento existente, aspectos clínicos, físicos, funcionais, cognitivos, psicossociais, e inclusive os recursos financeiros. E a partir dessas informações, será possível formular a prescrição de forma efetiva.

Na prescrição da órtese, inclui-se não só os objetivos terapêuticos estipulados, mas todas as indicações quanto ao uso (frequência, duração, momentos de utilização e de retirada, etc); cuidados com o material (higienização, manutenções necessárias, etc); e ajustes e adaptações na órtese, caso necessário.

Vale ressaltar a importância do acompanhamento durante o uso da órtese, avaliando a evolução clínica do paciente, condições da pele, a funcionalidade da órtese, a adaptação e usabilidade do paciente com o recurso, além do conforto durante a utilização. E a partir destes feedbacks, é possível realizar adaptações necessárias no planejamento terapêutico.

Independente da finalidade da órtese, o conforto é uma premissa para sua utilização pois o contrário pode gerar lesões na pele, compressão de vasos sanguíneos, dores articulares, etc, o que pode fazer com que o paciente tenha lesões ou não utilize a órtese, ambos prejudicando seu tratamento. Claramente, o início da utilização de uma órtese demanda certo costume, pois será um “corpo estranho” em contato constante por um período, porém de forma alguma deve prejudicar o paciente.

Mas quais tipos de órteses existem? De que material são feitas? Como funcionam os aspectos biomecânicos na utilização das órteses? Que profissionais podem prescrever e confeccionar órteses? Essas e outras perguntas serão respondidas nos próximos posts! Fique atento ao Blog Desengesse.

Referências utilizadas

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde.

Técnico em órteses e próteses: livro-texto/ Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão do Trabalho na Saúde – Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

EDELSTEIN, E. Joan; BRUCKNER, Jan. Órteses: abordagem clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Kooban, 2006.

Relacionados

julho 9, 2020

Fratura de punho

Por
agosto 25, 2022

Quais as vantagens que as órteses da Fix it tem em relação ao gesso?

abril 23, 2019

Substituto do gesso existe?

Por
Arrow-up